Praticando a Gratidão

Costumamos querer muito, mas e quanto a agradecer? Um dos exercícios que nos ajudam a ter uma vida equilibrada (e feliz, muitas vezes) é praticar a gratidão. Olhar ao redor e perceber que já temos muito e se algo vem sem esperarmos, devemos ser ainda mais gratos. Eu já pincelei neste post aqui que precisamos da proporção 3:1 para sermos pessoas mais felizes, ou seja, você precisa pensar em 3 coisas positivas para cada negativa que vive no seu dia.

Praticar a gratidão pode ser uma dessas atividades positivas a serem feitas ao longo do dia. Ao invés de só olhar as coisas negativas, parar um pouco e ver tudo de bom que já foi conquistado é um excelente passo. Dados apontam que a gratidão é uma das emoções positivas mais poderosas que existem, sendo apontada como parte da essência da felicidade.

Vamos aos dados. Os cientistas que pesquisam sobre o assunto descobriram que pessoas que praticam a gratidão constantemente:

  • são mais entusiasmadas, interessadas e determinadas;
  • sentem-se 25% mais felizes do que os que não a exercem;
  • têm mais propensão a ser gentis e prestativas com os outros.

A gratidão é uma habilidade, como aprender a falar alemão ou jogar bola. Pode ser ensinada e precisa ser exercida de maneira consciente e deliberada.

É um mito enorme dizer que nascemos gratos e ponto final. Somos egoístas por natureza e sempre estamos atrás de mais e mais coisas para nos satisfazer. Em muitos casos, nem olhamos para trás. Por isso, é importante acrescentar esse hábito a rotina, pouco a pouco.

Um exercício que gosto bastante, e que também pode te ajudar, é manter um caderno de gratidão. Ele não precisa ser físico, existem diversos apps no mercado com esse propósito, mas também é possível usar um caderno do seu bloco de notas do celular ou coisa que o valha. A cada momento que perceber que está muito negativo, pare um instante e reflita em pelo menos um motivo para ser grato e escreva.

Eu sou grato (pelo que) porque (motivo).

Exemplo: Eu sou grata por acordar bem, porque isso me ajuda a ser mais produtiva em minhas atividade diárias.

É muito simples. Você pode repetir isso ao longo do dia e ir guardando sua anotações para lembrar mais tarde o quanto você é afortunado. Pratique a gratidão em 2018 e veja como a perspectiva que temos da vida pode mudar consideravelmente.

 

Anúncios

7 coisas simples que você pode fazer para aproveitar o dia de hoje

Aproveitar o momento presente é um dos grandes desafios que a humanidade tem que enfrentar. Não sei você, mas eu tenho a tendência de ficar ruminando tudo o que fiz ou preciso fazer amanhã, e de acordo com a teoria Mindfulness é o momento presente que importa realmente. Você só pode agir no hoje. E nada mais.

Semelhante a ela, temos a filosofia utilizada pelos Narcóticos Anônimos em que é essencial viver um dia de cada vez, simbolizado pelo lema: Só por hoje. Não existem mais ações a serem feitas no passado e nada que possa ser feito no futuro, afinal, estamos todos vivendo o presente, agora, enquanto você lê este post. Não é possível se projetar novamente para as 9h e tomar um café da manhã mais saudável, nem fazer hoje as compras necessárias da sexta.

Por isso, existem 7 coisas que você pode fazer hoje para deixar seu dia mais leve. Vamos lá?

1. Faça um daqueles bons intervalos durante o dia.

Para cada 60-90 minutos trabalhados, tire um pausa de 10 a 15 minutos. Saia um pouco e divirta-se!

2. Aumente a proporção de emoções positivas em relação às negativas.

Há dias em que estamos mais negativos. Eu, por exemplo, não funciono muito bem em dias nublados, mas o mundo não para (ainda mais em Curitiba) e preciso criar situações que me deixem feliz e motivada para encarar as atividades do dia. Hoje de manhã, fiz minha bebida quente preferida e só de sentir o cheiro dela já fiquei muito mais feliz. A socióloga e autora do livro Ponto de Equilíbrio (que falamos bastante aqui no blog) afirma que ” para levar uma vida feliz, a pessoa precisa vivenciar, em seu cotidiano, um mínimo de três emoções positivas para cada negativa (3:1)”.

3. Crie um pequeno hábito que lhe poupará tempo.

Coloque suas chaves sempre ao lado da porta, lave a louça logo após comer ou até mesmo organize suas coisas do trabalho na noite anterior. Qualquer esforço feito hoje pode fazer uma enorme diferença amanhã, ou seja, por mais que não possamos agir no futuro, o que fazemos hoje influencia diretamente o amanhã.

4. Estabeleça um hábito de felicidade.

O que te deixa feliz? Não precisa ser algo grande, como viajar para o Caribe. Os hábitos de felicidade devem ser coisas do cotidiano, como jogar Minions na hora do almoço ou ouvir aquele podcast sobre empoderamento da palestrante que você admira.

5. Tire 10 minutos para não fazer nada.

Está lançado o desafio. Não fazer nada parece estranho em um mundo onde estamos com celular quase 100% do tempo, mas vale tentar. Os estudos apontam que não há problema em ficar entediado olhando para o nada, o resultado será excelente, pois não fazer anda por 10 minutos nos deixa muito mais produtivos depois.

6. Sorria para o atendente e puxe uma rápida conversa.

Sim, vale falar sobre tempo, mas adicione um plus  a conversa: ao final, se despeça falando o nome da pessoa. Normalmente os caixas do supermercado tem seus nomes no crachá, mas se não tiverem, pergunte seu nome. Vale até o seu vizinho sonolento no elevador. Pratique!

7. Resolva um pequeno problema num relacionamento importante.

Quanto tempo faz que você não almoça com a sua mãe? Este é só um exemplo, ainda mais se o relacionamento entre você e o outro está um pouco tenso. Encontre algo agradável (e sincero) para dizer, mesmo que as coisas não andem tão fáceis.

Que em 2018 nós possamos viver mais o momento presente. Feliz Ano Novo, pessoal!

O que te impede de ser você?

Uma das perguntas mais difíceis que me faziam há 3 anos e que eu me enrolava para responder é: Quem é você? Na maioria das vezes eu engasgava. Em outras, dava respostas tão vagas e superficiais que me incomodavam muito. Então ontem eu vi esse vídeo incrível na minha timeline do Facebook e pude parar mais uma vez para pensar a respeito desse assunto.

A gente sempre coloca o fim da vida como a linha final para estarmos neste mundo. Para sermos relevantes e termos um papel a cumprir. Porém durante muitos anos, e quem sabe a vida toda, somos todas as pessoas que os outros querem que sejamos, menos a que queremos ser.

Você é você ou você é um personagem?

Eu fiz essa pergunta para o meu terapeuta há 2 anos. E ela me abriu possibilidades e respostas que hoje me fazem saber um pouco melhor quem eu sou. A mensagem desse vídeo é inspiradora e traz inúmeros questionamentos.

O que te impede de ser quem você (realmente) é? Vale a pena a gente pensar sobre isso.