#ProjetoFotográfico 2018: Garuva

Sim, comecei 2018 com mil projetinhos para colocar em prática a minha primeira prioridade deste ano: Ficar feliz e saudável. Como meu trabalho basicamente exige que eu me mantenha inspirada, pensei em atividades que pudessem me proporcionar essa inspiração. Para mim, é o sentimento de coração quentinho que me motiva a criar coisas novas e a me dedicar a algo.

Aproveitando a viagem para a Barra do Saí, onde minha família tem uma casa, tirei várias fotos para o meu #projetofotográfico 2018. Nunca fiz algo do tipo, pois tinha a ideia de que só quem tem câmera profissional consegue fazer boas fotos, mas eu estava redondamente errada. Sempre amei fotografia e parei. Olha como sou boba. Em boa parte porque em era de Instagran parece que foto virou sinônimo de narcisismo – milhares de fotos que mostram rostos e posses, roupas e objetos de desejo.

Nada contra. Eu tenho várias fotos assim, porém a ideia é apurar um pouco o meu olhar para as coisas que acho bonito, que me inspiram e que marcam os locais por onde passo. Senti que é importante recordar com fotos e este projeto é sobre isso: RECORDAÇÕES. 

Minha viagem de volta pela Estrada de Garuva e pela BR-376 foi incrível e possui lugares que só olhos atentos percebem. Compartilho com vocês minha visão sobre esses dois trechos.

20180105_140139_Film4

20180105_140141_Film4

20180105_140227_Film4

 

20180105_140154_Film4

20180105_140624_Film4

20180105_140621_Film4

20180105_140546_Film4

20180105_140552_Film4

20180105_140629_Film4

20180105_140709_Film4

20180105_140830_Film4

20180105_140843_Film4

@Créditos: Camila Rehbein

Espero que gostem e se inspirem a fazer seus próprios projetos 🙂

Anúncios

Praticando a Gratidão

Costumamos querer muito, mas e quanto a agradecer? Um dos exercícios que nos ajudam a ter uma vida equilibrada (e feliz, muitas vezes) é praticar a gratidão. Olhar ao redor e perceber que já temos muito e se algo vem sem esperarmos, devemos ser ainda mais gratos. Eu já pincelei neste post aqui que precisamos da proporção 3:1 para sermos pessoas mais felizes, ou seja, você precisa pensar em 3 coisas positivas para cada negativa que vive no seu dia.

Praticar a gratidão pode ser uma dessas atividades positivas a serem feitas ao longo do dia. Ao invés de só olhar as coisas negativas, parar um pouco e ver tudo de bom que já foi conquistado é um excelente passo. Dados apontam que a gratidão é uma das emoções positivas mais poderosas que existem, sendo apontada como parte da essência da felicidade.

Vamos aos dados. Os cientistas que pesquisam sobre o assunto descobriram que pessoas que praticam a gratidão constantemente:

  • são mais entusiasmadas, interessadas e determinadas;
  • sentem-se 25% mais felizes do que os que não a exercem;
  • têm mais propensão a ser gentis e prestativas com os outros.

A gratidão é uma habilidade, como aprender a falar alemão ou jogar bola. Pode ser ensinada e precisa ser exercida de maneira consciente e deliberada.

É um mito enorme dizer que nascemos gratos e ponto final. Somos egoístas por natureza e sempre estamos atrás de mais e mais coisas para nos satisfazer. Em muitos casos, nem olhamos para trás. Por isso, é importante acrescentar esse hábito a rotina, pouco a pouco.

Um exercício que gosto bastante, e que também pode te ajudar, é manter um caderno de gratidão. Ele não precisa ser físico, existem diversos apps no mercado com esse propósito, mas também é possível usar um caderno do seu bloco de notas do celular ou coisa que o valha. A cada momento que perceber que está muito negativo, pare um instante e reflita em pelo menos um motivo para ser grato e escreva.

Eu sou grato (pelo que) porque (motivo).

Exemplo: Eu sou grata por acordar bem, porque isso me ajuda a ser mais produtiva em minhas atividade diárias.

É muito simples. Você pode repetir isso ao longo do dia e ir guardando sua anotações para lembrar mais tarde o quanto você é afortunado. Pratique a gratidão em 2018 e veja como a perspectiva que temos da vida pode mudar consideravelmente.

 

Músicas que me fazem bem

Nada que uma playlist calma, e de preferência, de piano instrumental, não cure. Posso estar incrivelmente estressada, chegar em casa um caco, me sentir desconectada comigo mesma. Basta colocar uma música calma e muito bem tocada ao piano para eu me sentir em casa.

Sempre tive uma relação estreita, porém conflituosa com a música, pois por mais que ela faça parte da minha vida, como praticante não sou a pessoa mais focada. Por não poder tocar, escuto. Hoje foi um desses, em que cheguei em casa com os ouvidos pedindo calmaria. Achei uma playlist ma-ra para isso e achei que seria válido compartilhar com vocês.

Precisa de calma, voltar ao centro e se sentir mais equilibrado (a). Dá o play e relaxe!

O que te impede de ser você?

Uma das perguntas mais difíceis que me faziam há 3 anos e que eu me enrolava para responder é: Quem é você? Na maioria das vezes eu engasgava. Em outras, dava respostas tão vagas e superficiais que me incomodavam muito. Então ontem eu vi esse vídeo incrível na minha timeline do Facebook e pude parar mais uma vez para pensar a respeito desse assunto.

A gente sempre coloca o fim da vida como a linha final para estarmos neste mundo. Para sermos relevantes e termos um papel a cumprir. Porém durante muitos anos, e quem sabe a vida toda, somos todas as pessoas que os outros querem que sejamos, menos a que queremos ser.

Você é você ou você é um personagem?

Eu fiz essa pergunta para o meu terapeuta há 2 anos. E ela me abriu possibilidades e respostas que hoje me fazem saber um pouco melhor quem eu sou. A mensagem desse vídeo é inspiradora e traz inúmeros questionamentos.

O que te impede de ser quem você (realmente) é? Vale a pena a gente pensar sobre isso.