Dramas Coreanos | My Shy Boss

Essa semana terminei mais um drama coreano intitulado My Shy Boss. Não sei se já falei aqui, mas assisto todos esses doramas no Drama Fever e esse estava na minha lista dramas. Bom, a história é bem curtinha e está dividida em 16 episódios não tão curtos assim, acho que em média eles devem ter 1h cada com direito a spoiler do próximo episódio.

Toda a narrativa da série gira em torno do Eun Hwan Ki, dono de uma grande empresa de relações públicas, e a Chae Ro Woon, uma atriz que desistiu dos palcos e entrou para a empresa de RP por motivos um pouco duvidosos. O grande problema do Hwan Ki é seu extremo desconforto de falar com estranhos e até mesmo falar o que pensa para as pessoas mais próximas. Isso gera um mal entendido atrás do outro, o que leva a empresa toda morrer de medo dele – mesmo sem ele abrir a boca.

Como um alter ego na história, ele tem um amigo de infância chamado Kang Woo Il, que é o queridinho da empresa e é quem toma a frente na resolução de problemas. No decorrer da narrativa a gente percebe que um cobre o outro em um sistema de proteção. E tudo isso está diretamente ligado a uma situação que aconteceu há 3 anos na empresa e que foi o motivo da Ro Woon ser admitida na Brain RP.

Por mais rápida que seja a história (porque estou na saga de 40 capítulos de outros dois dramas coreanos), os capítulos seguem um pouco amarrados no começo. Você sente a agonia do Hwan Ki em não conseguir se expressar direito em contraposição a eletricidade e afobação da Ro Woon.

O final também ficou bem enroladinho ao meu ver. Algumas partes não se amarraram como imaginei, mesmo quando eles ficaram juntos. Enfim, vale o tempo gasto assistindo pelas temáticas: pessoas introvertidas, suicídio, auto-mutilação e tantos outros pontos que os personagens desenrolam e que nos fazem perceber que a melhor saída é sempre ser você mesmo. Tentar ser outra pessoa apenas te machuca em níveis muito profundos.

Tentei não dar muito spoiler, porque quero que assistam e compartilhem suas impressões comigo! E aí, o que acharam?

Dramas Coreanos | My Secret Romance

Confesso que 2017 tem sido um ano bem intenso, principalmente na minha saga por dramas coreanos. Essa semana, terminei My Secret Romance e como já estava com esse blog quase engatilhado, pensei: – Por que não falar sobre ele? Bom, em primeiro lugar, esse foi um dos meus dramas preferidos do semestre depois, é claro, de Goblin.

Dividido em 13 capítulos de no máximo 50 minutos, cada episódio conta a história de amor do chaebol Cha Ji Wook (Sung Hoon – adoro esse ator já de outras temporadas) e da nutricionista Lee Yoo Mi (Song Ji Eun). Diferente dos dramas adolescentes, que a gente sofre pra ver um selinho no final da série, esse já começa com fortes emoções, que merecem replay. Claro, quando falamos de cenas quentes e de fortes emoções em dramas coreanos, precisamos ter bem claro qual o significado disso para essa cultura. E não é a mesma concepção que nós, brasileiros, temos.

my-secret-romance-limões-mexericos-2

A cena da cozinha é uma das melhores | Foto: Divulgação

O que não foge muito do script é aquele roteiro básico, do cara rico que se apaixona pela menina mais pobre, que não tem conexões. Isso é clichê? É. Irrita um pouco a intromissão dos pais? Sim, irrita porque aqui você namora quem quer e lá não é bem assim. A gente já viu em mil dramas a mesma pegada? Com certeza. Mas esses são aspectos que sempre ignoro, porque já percebi que são construções culturais.

Fora isso, o bacana é que nesse história, o Ji Wook gosta da Yoo Mi primeiro e faz da vida dela um inferno quando ela é contratada como nutricionista na sua empresa. Claro, que isso tudo é porque ele quer ela sempre por perto. As sacadas são muito boas e dá pra dar muita risada com os personagens secundários e com as tramoias que ele apronta para conquistar a Yoo Mi.

NOTA: esse talvez tenha sido o drama com mais beijos de verdade que eu já vi. Toda hora ele dá um jeito de beijar a Yoo Mi. E não é selinho não. Dada as devidas proporções, é um beijão atrás do outro.

A única coisa que me irritou um pouco é as decisões precipitadas que a Yoo Mi pelo bem do amor que sente por ele. Sério, custa sentar e ter uma conversa franca? rsrs Eu já me irritei bem mais com esse disse-me-disse coreano, mas com os anos também fui relevando. Em nível de lenga-lega esse fica em 40%, porque o Ji Wook é bem direto no que quer. A Yoo Mi, nem tanto.

Cada final tem um epílogo que dá uma outra visão sobre uma cena-chave do episódio. Em alguns momentos é ótimo, porque rola saber o que eles estavam pensando, mas em outros dá sono. Podia ser mais rapidinho para fluir melhor.

Bom, é isso! Fica a recomendação e se você também assistiu, me conta nos comentários o que achou 🙂