Minha experiência com o Kindle 8

Sempre fui uma leitora ávida. Quando estudava, minhas idas à biblioteca eram constantes e lembro nitidamente de uma tarde chuvosa e fria em que li meu primeiro livro de terror. Cresci e agora tenho meus próprios livros, porém já fazia quase um ano que vinha namorando um Kindle. No começo eu não sabia se ia rolar sentimento, porque sou dessas que marca tudo com post it para reler trechos importantes depois. Esperei pacientemente até a Black Friday chegar e arrematei o meu.

Primeiro que minhas experiências de compra na Amazon sempre foram excelentes. Tudo sempre chega rapidinho e para os ansiosos é muito bom pode contar com essa agilidade. Ele chegou dois dias após minha compra e já fui ligando tudo. Eu já lia livros no Kindle para Android, então já estava mais familiarizada com a interface.

O modelo que eu comprei é o Kindle 8, que não tem iluminação. Já ouvi várias pessoas falando que não compensa, mas não sou dada a leituras noturnas e o plus do Paparwhite não me chamou tanto a atenção. Além de super leve, ele possui uma memória de 4G e uma bateria que demora muito para acabar. 

Uma das principais vantagens que percebi é no custo dos livros: um livro físico que custa, por exemplo, R$39,90 sai por pouco mais de R$9,90 para o dispositivo. Por mais que o preço não seja tão convidativo para aqueles que não são acostumados (R$299), é sim um excelente custo-benefício. Eu mesma já comprei vários livros e estou considerando assinar o Kindle Unlimited.

Com ele, é possível acompanhar o avanço da leitura, ajustar tamanho da fonte, comprar novos títulos direto pela loja da Amazon e ainda há um navegador experimental que pode ser utilizado. A tela é fosca e não prejudica a leitura, realmente parece que é uma folha de papel. Eu estou apaixonada pelo meu Kindle e posso dizer que valeu a espera!

 

 

Anúncios

Checklist de Dezembro/2017

Primeira semana oficial de dezembro e a contagem regressiva para as festas de fim de ano. Com os dias correndo tanto, vamos à nossa checklist de dezembroinspiração da Thais Godinho, do Vida Organizada. Eu tenho um ritual de fim de ano, que consiste basicamente em ir organizando as pendências para entrar com boas energias no novo ano.

Por isso, minha lista contempla os seguintes objetivos, que irei desmembrar na sequência das semanas que se seguem:

  1. Limpar e organizar a casa para atrair boas energias;
  2. Lavar, passar e organizar todas as roupas do armário – nada entra sujo para 2018;
  3. Gravar os vídeos de dezembro para o canal;
  4. Fechar o ano letivo no colégio entregando todas as pendências;
  5. Guardar o 13º e férias para usar em nosso projeto pessoal;
  6. Organizar as finanças para 2018;
  7. Iniciar o rebranding da Patiá;
  8. Organizar minhas pastas em nuvem no Dropbox, OneDrive e Google Drive (ufa!);
  9. Doar as roupas e sapatos que não uso mais;
  10. Dar banho na Chloe.

 

 

Olá Dezembro

Dezembro chegou fervilhando minha cabeça. Gente, o ano acabou e isso me dá aquele gatilho para começar a planejar alguns projetos para 2018. Quem nunca? Pois é. Mas diferente do que eu sempre fiz a cada virada de ano, dessa vez quero focar somente em projetos de trabalho. Ano passado eu queria viajar para o Uruguai, porém, contudo, entretanto, quem determina a verba para isso é o meu ganha pão e acho que quando isto está bem encaminhado, o resto acaba sendo consequência.

Existem 3 grandes projetos que quero desmembrar ano que vem: minha carreira como professora, o desenvolvimento e delineamento da Patiá e o canal do Youtube/Blog. É engraçado, porque trabalho com marketing de conteúdo e branding e tenho uma dificuldade enorme em aplicar tudo isso para meus próprios projetos. Porém, em 2018 a coisa vai.

Para o canal, já temos o Desafio dos 12 livros para 2018 e quero ainda inserir alguns outros desafios, dentre eles a leitura de livros para a UFPR do ano que vem, afinal, somos um canal/blog de literatura e afins. Lembrando que você também pode participar desses projetos e ir lendo junto comigo, ok?

Para a Patiá, esse ano foi de muuito aprendizado e cheguei a algumas conclusões sobre quais rumos quero dar para a empresa no ano que vem. A primeira premissa é que não somos uma agência, mas um studio colaborativo de mulheres empreendedoras. Vou fazer o rebranding da empresa agora em dezembro, porque as férias estão chegando, mas a gente não para de fazer coisas.

Minha carreira como professora começou este semestre e foi um divisor de águas monstruoso na minha vida. Que delícia fazer o que a gente gosta! Por isso, quero continuar 2018 com a minha graduação e com projetos (quem sabe no canal) para prosseguir com a minha vida como professora de redação e literatura. Altos projetos vindo por aí, aguardem!

 

 

Criando Novos Hábitos: Identifique os mini-hábitos dentro da sua rotina

Este post faz parte da série Ponto de Equilíbrio.Você pode conferir os outros posts aqui! 

Faz dois anos que venho buscando ser mais produtiva e, consequentemente, mais organizada. Confesso que devido a minha ansiedade não consigo fazer isso satisfatoriamente, porém não tenho me cobrado muito para não ficar ainda mais ansiosa, e também porque sei que, dentro das minhas limitações, tenho dado o meu melhor.

E eu acredito que é bem isso: dar o seu melhor a despeito das suas limitações, seja ela quais forem. Esse semestre a minha rotina mudou muito com as aulas. Antes dormia tarde e acordava a hora que queria, porém agora levanto antes do galo cantar e começo a trabalhar quando o sinal bate, às 7h15.

Essa semana, revisitei meu livro-guia para manter a vida equilibrada e retomei o blog também (o que me deixou bem feliz!). Por isso, continuamos com as dicas para criar novos hábitos, que não é algo fácil, mas necessário. Existem algumas coisas que preciso mudar, principalmente na minha rotina matinal, em que meu grande e pesado elefante está tomando o controle total do que faço.

Lembram que o primeiro passo é esboça a rotina, certo? Já fizeram esse exercício? Antes de escrever esse post, sentei por algum tempo em frente ao Evernote (app que estou usando para anotar minhas coisas) e esbocei minha rotina matinal da forma ideal. O que eu sei que poderia fazer para me sentir mais disposta durante as primeiras horas da manhã.

Ficou assim basicamente:

ROTINA MATINAL DURANTE A SEMANA (MEU PILOTO AUTOMÁTICO):
 
21h30: tomar um banho relaxante e arrumar a mochila do colégio para o próximo dia.
22h: desligar todos os aparelhos eletrônicos que podem me deixar acordada até mais tarde.
5h: ao escutar o despertador, que fica no banheiro, levantar e se sentar no chão para uma meditação guiada de 20 minutos.
5h20: ler minha meditação matinal e a lição da escola sabatina.
5h30: me arrumar para ir à escola.
5h45: preparar e tomar meu café da manhã. Precisa ser algo que sustente, mas que seja rápido de fazer no piloto automático.
6h05: sair para trabalhar.
Pode parecer estranho ela começar na noite anterior, mas Christine fala que nosso hábitos matinais são diretamente influenciados pelo que fazemos antes de dormir, e percebi que isso é verdade durante esses quatro últimos meses. Se vou dormir tarde, volto ao meu hábito estabelecido, que é apertar a soneca até não poder mais.
Para mudar esse estado e conseguir fazer tudo o que pretendo lá em cima, foi importante perceber os mini-hábitos que tenho quando não consigo pensar direito e o elefante toma conta. E aí vem o segundo passo para criar bons hábitos e eliminar os ruins:

Dica 2: Identifique os mini-hábitos dentro da sua rotina mais ampla

A ideia sugerida por Carter é que você consiga fazer um esboço completo da sua rotina (mesmo que ela não seja tão estabelecida assim, ok?) para depois se debruçar a estudá-la. O que você faz automaticamente em cada uma das partes do seu dia? Essa não é uma recomendação dela, porém percebi que ao dividir minhas rotinas em: manhã, tarde e noite, consegui ter uma visão mais detalhada e localizada dos hábitos bons e ruins que precisava trabalhar para eliminar ou reforçar.

Importante: para criar novos hábitos, é necessário criar um gatilho, uma rotina e recompensas.

Ao esboçar minha manhã, a ideia foi basicamente esta:

criando novos hábitos

Tentei legendar os mini-hábitos que tenho em cada uma das minhas ações da manhã. Sou uma pessoa bem visual e algo colorido sempre me dá uma recompensa boa para continuar me mantendo organizada (lembra? gatilho-hábito-recompensa).

No meu caso, meu gatilho sempre é algo interno: como um desconforto e falta de controle, isso me lembra automaticamente que estou desorganizada e sem controle, o que me leva a buscar novamente as ferramentas de produtividade com as quais me identifico. A minha recompensa é fazer tudo colorido e isso me dá um prazer que reforça meu comportamento e me dá grandes chances de continuar com esse hábito.

Claro, não adianta só anotar e identificar. Por isso, uso o Evernote para isso, pois posso compartilhar essas notas online com meu celular e acompanhar o que devo fazer independente de onde estiver.

Quais são seus micro-hábitos? Que mini-hábitos você precisa estabelecer?

Nas próximas semanas vou tentar estabelecer esses novos mini-hábitos. Atualizo você sobre meu progresso e espero que vocês também compartilhem comigo! Vamos começar hoje a ser mais produtivos e organizados para 2018.

Desafio Literário: 12 livros para 2018

Se alguns gostam de colecionar tênis (como meu marido), minha paixão é colecionar livros. Desde pequena sempre li muito, mas foi apenas depois de “grandinha” que decidi abrir este canal para falar sobre o assunto. Não sou perita, porém aprendo muito com dois “booktubers” que acompanho sempre: a Tatiana Feltrin, do TLT, e o Victor Almeida, do Geek Freak. Eles já têm seus canais há um bom tempo e serviram de inspiração para a criação do meu, na metade deste ano: o Limões & Mexericos.

E como já estamos no fim de novembro, é tempo de fazer a tão aclamada lista de “12 livros para 2018”. É a primeira vez que me proponho a esse desafio literário, mas resolvi entrar nessa e ter (bons) motivos para ler muito no ano que vem. Lembrando que o canal volta em dezembro e já teremos algumas coisas para compartilhar até o fim do ano.

Minha lista de 12 livros para 2018:

1. Em algum lugar nas estrelas, de Clare Vanderpool

2. A menina submersa: memórias, de Caitlin R. Kiernan

3. Redação para o ENEM, de Murilo Oliveira de C. Coelho

4. A Revolução dos Bichos, de George Orwell

5. 1984, de George Orwell

6. Emma, de Jane Austen

7. Crime e Castigo, de Fiódor Dostoiévski

8. O Conto da Aia, de Margaret Atwood

9. Os Lusíadas, de Luis Vaz de Camões

10. Romeu e Julieta, de William Shakespeare

11. Homens Imprudentemente Poéticos, de Valter Hugo Mãe

12. Mulheres Exemplares, de Miguel de Cervantes

Muitos desses livros já estão na estante, só esperando para serem lidos e outros estão há algum tempo na minha lista de desejos da Amazon. Se quiser me dar algum presente de Natal, está aí uma dica!

Então em Janeiro, começamos este desafio. Lembrando que ele pode ser o seu desafio também e a cada mês conversarmos sobre ele no canal do Limões no Youtube e por aqui também. E aí, tem sua lista de 12 livros para 2018 também? Compartilha comigo!

 

 

 

Músicas que me fazem bem

Nada que uma playlist calma, e de preferência, de piano instrumental, não cure. Posso estar incrivelmente estressada, chegar em casa um caco, me sentir desconectada comigo mesma. Basta colocar uma música calma e muito bem tocada ao piano para eu me sentir em casa.

Sempre tive uma relação estreita, porém conflituosa com a música, pois por mais que ela faça parte da minha vida, como praticante não sou a pessoa mais focada. Por não poder tocar, escuto. Hoje foi um desses, em que cheguei em casa com os ouvidos pedindo calmaria. Achei uma playlist ma-ra para isso e achei que seria válido compartilhar com vocês.

Precisa de calma, voltar ao centro e se sentir mais equilibrado (a). Dá o play e relaxe!

Resumo do Mês: Novembro

Estou de volta sociedade! Depois de uns meses aprendendo a ser professora e a cumprir os deveres da rotina escolar, cá estou com o blog novamente. O canal volta em dezembro, mas por enquanto espero vocês aqui mesmo. Confesso que até minhas leituras estacionaram, porém estou muito concentrada em duas obras no momento e em algumas séries muito interessantes.

E por que não compartilhar com vocês?

A título de curiosidade, sim, a vida está caótica e  quase arranquei os cabelos algumas vezes. Quando foi que ser adulto se tornou tão complicado e cheio de coisas para resolver? Algumas vezes eu até queria fazer algo, mas confesso que aproveitei os feriados todos para dormir, e dormir, e dormir só mais um pouquinho. Ser professora, empreendedora, esposa e universitária tem sido meu #desafiodasgaláxias.

 

Bom, mas vamos para o tal resumão do mês (que nem faz muito sentido porque novembro nem acabou kkk). Na real, tenho absoluta certeza que não conseguirei aparecer muito por aqui nos próximos dias, e quiçá no restante do mês, então já vamos adiantar a conversa que é melhor!

Lendo

Dizem que a esperança é a última que morre. E assim prossigo na tentativa de finalizar A Peste, do Albert Camus. Não é que não gostei da obra, mas sua leitura é densa, angustiante e não consegui dar a atenção devida com tantas redações para corrigir. A coisa boa é que voltei a colocá-lo na mochila, então, enquanto volto pra casa de ônibus, me coloquei a meta de finalizá-lo até o fim deste mês. Me cobrem uma resenha depois, ok?

Outra leitura que estou nos finalmente é O Exército de um Homem Só, do Moacyr Scliar. Essa foi uma grata (e engraçada) surpresa que minhas aulas de literatura me proporcionaram neste semestre. Mayer é um dos personagens mais excêntricos que já conheci e estou completamente fascinada em sua disposição em ver a vida de forma tão utópica. Com certeza iremos conversar sobre esse livro por aqui (e no canal também! Aproveita e já se inscreve).

leituras-atuais

Assistindo

Meu senhor amado, não sei o que sentir em relação a 3 séries que comecei no último mês. A primeira da lista é Outlander. Não sei se existem palavras para descrever aquele cenário incrível da Escócia somado a uma história envolvente, mítica e com todos os elementos de antiguidade que amo absurdamente. Não gosto muito de ler os livros que são adaptados para filmes, porque acho que perde um pouco da graça, mas sempre há exceção para tudo nesta vida.

A segunda série que comecei foi Call the Midwife. No começo eu achei os episódios um pouco lentos e quase desisti. Porém com o passar no tempo a história ganha personagens ricos e, o que mais gosto nesta série, humanos. Narrado por uma parteira no fim dos anos 50, os episódios se entrelaçam entre a vida dos moradores do subúrbio do Londres e a própria vida das parteiras da Casa Nonato. Ainda bem que dei uma chance!

Alias Grace foi a última série que terminei esse mês. Ela não é muito grande, porém os 6 episódios me fizeram sair correndo para comprar o livro (olha eu quebrando minhas regras). Com certeza ainda vamos falar sobre essa obra de Margaret Atwood que foi recentemente adaptada pela Netflix. Entrou para a minha lista de favoritos de 2017.

Empreendendo

As coisas na Patiá estavam a todo vapor, mas agora estamos entrando em uma época de baixas, porém planejando os novos rumos para 2018. Muita coisa mudou neste semestre e a empresa também. Entramos de férias logo mais, porém preparando vários projetos novos para o novo ano que se aproxima.

Assuntos Capilares

Decidi deixar meus cabelos assumirem seu formato natural: o ondulado. Com a correria do dia a dia me liguei que não tenho mais paciência para morrer sentada num salão fazendo progressiva, muito menos em casa, alisando as madeixas com a chapinha. Fui lá, comprei um monte de produtinhos ma-ra para cabelos ondulados e estou testando. Só pela hidratação já daria umas 5 estrelas.

Pois estão é isso! Estou de volta, estou na correria, porém com a mesma cara lavada de sempre para falar sobre todas as minhas descobertas literárias e da vida. A gente vai, mas volta. E assim levamos a vida. O que andam fazendo?