Escolha cinco prioridades e diga “não” para todo o resto

Não sei como foi para você, mas meu 2017 foi um ano daqueles. Em termos de produtividade e organização a coisa foi bem caótica e oscilei bastante entre momentos mais focada e organizada e outros em que não sabia nem mesmo onde estava a minha cabeça. Houve momentos em que deu até vontade de largar empresa, escola e outras coisas só para ficar na caverninha. Ué, Camila, mas você não tem vergonha de falar isso? Não, porque ter esse tipo de pensamento faz parte da caminhada de qualquer ser humano, mesmo àqueles que estão vivendo seus sonhos.

Ter uma vida cheia de trabalho, com várias responsabilidades também é sair da zona de conforto e com o estresse batendo lá em cima é normal que nosso organismo queira o descanso, que nem sempre vem na hora em que ele está gritando enlouquecido que quer dormir. Sempre quando chega a estes momentos, lembro da “dica” de Kristin van Ogtrop:

Antes de questionar sua vida inteira e as decisões que tomou, verifique: hormônios, privação de sono, bagunça da casa, nível de teimosia das crianças, colegas de trabalho intoleráveis. Se nenhum destes agentes for responsável por sua infelicidade, talvez você tenha, de fato, problemas maiores”.

Adotei essa frase como mantra, meu balizador para os momentos de desespero. Como fiz terapia por alguns anos, aprendi a me distanciar dos meus problemas (na medida do possível, claro) e não desistir só porque a situação não é favorável à minha zona de conforto. E para organizar melhor meu 2018 entre todas as áreas da minha vida (casa, família, faculdade, empresa e docência), adotei uma orientação que a Christine Carter dá em seu livro O Ponto de Equilíbrio: Escolha as suas cinco prioridades e diga “não” para todo o resto.

Se você é como eu que tem dificuldade em alinhar bem o que deve ser feito e se perde no caos que é sua cabeça, delimitar 5 prioridades para a sua vida e seguir a risca parece um caminho mais claro a ser seguido.

Dizer NÃO, o princípio das dores

Estou há quase 4 anos treinando o NÃO como resposta e ainda não dominei a arte totalmente, confesso. Porém, dizer essa palavra tão pequena é o que poderia dividir os homens dos animais ao meu ver, porque é rápido e nos livra de sobrecargas que não precisamos em nossa vida. Dizer não educa mais do que vários sims. O problema é que não somos ensinados a dizê-lo.

Então cabe um exercícios aqui: Se você esta lendo este post e chegou até aqui, olhe para a pessoa que está ao seu lado e diga “Não”. está sozinho? Imagine uma situação em que você sabe que dizer “Não” vai te poupar de desconforto e diga em voz alta “Não”.

AVISO: no começo é normal sentir uma dorzinha ao dizer não, porque temos a tendência de acreditar que estamos perdendo ao dizer não, porém isso é um engano terrível. De acordo com Kevin Ashton, em um artigo para a revista Medium intitulado “Pessoas Criativas dizem Não”, só há vantagens em aprender essa arte.

“Dizer ‘ não’ tem mais poder criativo que ideias, insights e talento combinados. ‘Não’ poupa tempo, que depois usaremos para tecer as nossas criações. (…) Não somos ensinados a dizer ‘não’. Somos ensinados a não dizer ‘não’. ‘Nao’ é contrariar, rejeitar, um pequeno ato de violência verbal. ‘Não’ é para drogas e estranhos oferecendo doces”, diz.

Só que não é bem assim na vida real, e quando mais “Sim” nós dizemos, mais sobrecarregados ficamos com prazos que não podemos cumprir, promessas que não são viáveis para nós, eventos que irão nos privar de sono e que, lá no final, irão nos fazer questionar que diacho estamos fazendo da vida. Mas dói e este deve ser um treino diário e coerente (não adianta sair dizendo não pra tudo sem ponderação).

Faça sua lista de prioridades (5 no máximo)

Peter Bregnan, autor de 18 minutes, aconselha que nós devemos escolher 5 prioridades para as nossas vidas para, então, passarmos 95% do tempo desempenhando apenas aquelas atividades, dizendo “não” para todo o resto. Desafiador, não? Mas quero tentar junto com vocês esse exercício e ver o quanto consigo realizar em 2018. Carter fala que essa ideia também a surpreendeu, pois “eu estava convencida de que não havia como passar 95% do meu tempo fazendo coisas que fossem minhas maiores prioridades. Eu estava ocupada demais cumprindo horário!”, ela conta em seu livro.

Mas na realidade é algo bem simples: anote, por ordem de importância, suas cinco maiores prioridades para 2018. A título de exemplo, ela exemplifica suas prioridades naquele ano:

(1) Manter a saúde e felicidade: está é a maior prioridade. As primeiras coisas que agendo são as que mais afetam a minha felicidade. Reservo tempo para dormir, praticar exercícios, para os amigos e a família, e digo “não” para as atividades – por mais divertidas que sejam – que interferem no sono, nos exercícios e no tempo que passo com amigos íntimos. E a saúde e felicidade foram afetadas, todo o resto estará em risco.

(2) Apoiar os outros: primeiro meus filhos e meu marido; o resto da família em seguida; amigos e comunidade depois. Trata-se de criar seres humanos incríveis, saudáveis e feliz e cultivar a ideia de que faço parte de algo maior do que eu mesma.

Percebam que as prioridades não são objetivos, mas estão relacionadas a eles. É como um norte, se ao ponderar você notar que suas prioridades estão sendo feridas, é melhor dizer não do que afetar todo o resto.

Em 2018 já tenho as minhas prioridades e está sendo beeem mais fácil nortear os outros horizontes da minha vida. Ser uma pessoa consciente ajuda muito nas tomadas de decisão, percebo isso agora e já é uma das minhas prioridades da lista.

Este post te ajudou? Deixe-me saber! Se você já fez sua lista de 5 prioridades, deixe nos comentários como foi a experiência.

 

 

Anúncios

Minha experiência com o Kindle 8

Sempre fui uma leitora ávida. Quando estudava, minhas idas à biblioteca eram constantes e lembro nitidamente de uma tarde chuvosa e fria em que li meu primeiro livro de terror. Cresci e agora tenho meus próprios livros, porém já fazia quase um ano que vinha namorando um Kindle. No começo eu não sabia se ia rolar sentimento, porque sou dessas que marca tudo com post it para reler trechos importantes depois. Esperei pacientemente até a Black Friday chegar e arrematei o meu.

Primeiro que minhas experiências de compra na Amazon sempre foram excelentes. Tudo sempre chega rapidinho e para os ansiosos é muito bom pode contar com essa agilidade. Ele chegou dois dias após minha compra e já fui ligando tudo. Eu já lia livros no Kindle para Android, então já estava mais familiarizada com a interface.

O modelo que eu comprei é o Kindle 8, que não tem iluminação. Já ouvi várias pessoas falando que não compensa, mas não sou dada a leituras noturnas e o plus do Paparwhite não me chamou tanto a atenção. Além de super leve, ele possui uma memória de 4G e uma bateria que demora muito para acabar. 

Uma das principais vantagens que percebi é no custo dos livros: um livro físico que custa, por exemplo, R$39,90 sai por pouco mais de R$9,90 para o dispositivo. Por mais que o preço não seja tão convidativo para aqueles que não são acostumados (R$299), é sim um excelente custo-benefício. Eu mesma já comprei vários livros e estou considerando assinar o Kindle Unlimited.

Com ele, é possível acompanhar o avanço da leitura, ajustar tamanho da fonte, comprar novos títulos direto pela loja da Amazon e ainda há um navegador experimental que pode ser utilizado. A tela é fosca e não prejudica a leitura, realmente parece que é uma folha de papel. Eu estou apaixonada pelo meu Kindle e posso dizer que valeu a espera!

 

 

Checklist de Dezembro/2017

Primeira semana oficial de dezembro e a contagem regressiva para as festas de fim de ano. Com os dias correndo tanto, vamos à nossa checklist de dezembroinspiração da Thais Godinho, do Vida Organizada. Eu tenho um ritual de fim de ano, que consiste basicamente em ir organizando as pendências para entrar com boas energias no novo ano.

Por isso, minha lista contempla os seguintes objetivos, que irei desmembrar na sequência das semanas que se seguem:

  1. Limpar e organizar a casa para atrair boas energias;
  2. Lavar, passar e organizar todas as roupas do armário – nada entra sujo para 2018;
  3. Gravar os vídeos de dezembro para o canal;
  4. Fechar o ano letivo no colégio entregando todas as pendências;
  5. Guardar o 13º e férias para usar em nosso projeto pessoal;
  6. Organizar as finanças para 2018;
  7. Iniciar o rebranding da Patiá;
  8. Organizar minhas pastas em nuvem no Dropbox, OneDrive e Google Drive (ufa!);
  9. Doar as roupas e sapatos que não uso mais;
  10. Dar banho na Chloe.

 

 

Olá Dezembro

Dezembro chegou fervilhando minha cabeça. Gente, o ano acabou e isso me dá aquele gatilho para começar a planejar alguns projetos para 2018. Quem nunca? Pois é. Mas diferente do que eu sempre fiz a cada virada de ano, dessa vez quero focar somente em projetos de trabalho. Ano passado eu queria viajar para o Uruguai, porém, contudo, entretanto, quem determina a verba para isso é o meu ganha pão e acho que quando isto está bem encaminhado, o resto acaba sendo consequência.

Existem 3 grandes projetos que quero desmembrar ano que vem: minha carreira como professora, o desenvolvimento e delineamento da Patiá e o canal do Youtube/Blog. É engraçado, porque trabalho com marketing de conteúdo e branding e tenho uma dificuldade enorme em aplicar tudo isso para meus próprios projetos. Porém, em 2018 a coisa vai.

Para o canal, já temos o Desafio dos 12 livros para 2018 e quero ainda inserir alguns outros desafios, dentre eles a leitura de livros para a UFPR do ano que vem, afinal, somos um canal/blog de literatura e afins. Lembrando que você também pode participar desses projetos e ir lendo junto comigo, ok?

Para a Patiá, esse ano foi de muuito aprendizado e cheguei a algumas conclusões sobre quais rumos quero dar para a empresa no ano que vem. A primeira premissa é que não somos uma agência, mas um studio colaborativo de mulheres empreendedoras. Vou fazer o rebranding da empresa agora em dezembro, porque as férias estão chegando, mas a gente não para de fazer coisas.

Minha carreira como professora começou este semestre e foi um divisor de águas monstruoso na minha vida. Que delícia fazer o que a gente gosta! Por isso, quero continuar 2018 com a minha graduação e com projetos (quem sabe no canal) para prosseguir com a minha vida como professora de redação e literatura. Altos projetos vindo por aí, aguardem!